15 maio, 2010

tudo em ti é efémero, excepto o encanto que a mim atiras sem dó nem piedade. tomara que as ruas desta cidade não tivessem perpetuado o nosso amor, doçura, era tudo tão mais fácil se se tivesse dissipado o teu odor da minha epiderme e se com ele tivessem morrido as palavras que teimam em permanecer. não há como escapar deste desejo ardente que me percorre incessante quando em ti os meus olhos posam.quiçá um dia pares com esta sedução oca que só adia o fim por mais um dia.                                                                   

7 comentários:

Paula disse...

Excelente texto. A verdade é que por vezes acaba por ser um pseudo receio de largar aquilo que talvez numa terrivel ilusao ainda poderá vir a ser nosso.
Gostei (.

Paula disse...

Excelente texto. A verdade é que por vezes acaba por ser um pseudo receio de largar aquilo que talvez numa terrivel ilusao ainda poderá vir a ser nosso.
Gostei (.

Paula disse...

Excelente texto. A verdade é que por vezes acaba por ser um pseudo receio de largar aquilo que talvez numa terrivel ilusao ainda poderá vir a ser nosso.
Gostei (.

Mara disse...

Sentido*

Gustavo Reis disse...

ue saudade de passar aqui e desfrutar das suas palavras.

Afonso Costa disse...

Ardente e perigoso encanto que nos prostra aos pés daquela pessoa...
Mais um excelente texto.

Jess ● disse...

Atravesso essa apatia emocional todos os dias..de tal forma é inevitável o meu sentimento.

bem escrito.*