28 junho, 2010

morre! morre! morre!
morre besta personificada em carne humana!
morre num esgar de dor como nenhum outro!
morre lentamente num êxtase mudo!
morre! oh chaga eterna!oh cicatriz tamanha!oh nirvana inatingível!
morre hóspede sem convite!
morre romance cru, pornográfico!
morre em mim e espalha as cinzas pelo divã escarlate, as minhas estão à tua espera na carpete.

9 comentários:

Mariana disse...

OH MEU DEUS!
Nao da para descrever este texto!
GENIAL no minimo ^^

Margarida C' disse...

Concordo com a Mariana. Está genial e muito forte.
Beijinho

Marilena' disse...

gostei muito !

Afonso Costa disse...

Demasiado orgásmico este pequeno texto, sobre-humano mesmo.

Mel disse...

liiiiiiiindo*

Isa Meireles disse...

eu podia dizer tanta coisa à cerca disto mas... fiquei sem palavras e acho que isto basta: a poesia nasceu em ti, cria-a, educa-a e continua a demonstra-la a nós. ADOREI

FLÁVIOMATA disse...

Mas amo-te toda a gente diz, sem muitas vezes saber ou sentir o verdadeiro significado da palavra :/

Sc' disse...

Demais! Adorei a tua expressividade .

Poppins disse...

Senti um cheirinho de Álvaro de Campos.