15 dezembro, 2008

a cobra, a cobra enrola-se às gentes e mata-as de vez. vós, vós asfixiais e gozais e matais aos poucos.
o tubarão cheira o sangue e persegue-o, faminto. vós, faminta igualmente, humilhais as gentes que não têm a fervura do vosso sangue.
vós sois a pura tentativa de ser, falhada.

3 comentários:

Qel disse...

Gostei do texto. Fez-me lembrar o "sermão de Sto. António aos peixes" (ok, estou meeeesmo a precisar de férias).
A cobra tem veneno e o tubarão fome a mais.

beijinho (: *

Davi(d) disse...

parabéns companheira!
<3

Ana Moreira disse...

Maravilhoso!