11 julho, 2009

façamos hoje, dia que nada glorifica o nosso Portugal, um apanhado inglório e bruto, dos pecadores da nossa terra!
comecemos pelo topo, por quem nos governa e nos envergonha, que sirvam, deste modo, como motor de arranque a este grito do ipiranga, a este sem fim de lágrimas feitas palavras. falemos da sua oratória reles e deplorável, sublinhemos os seus discursos ocos e utópicos, reforcemos o escandaloso alheamento da realidade social em que vivem estes pobres doutores, que nada têm de pobres e, quiçá, certas vezes, nem de doutores!
um dia comem caviar, no seguinte estão na praça pública a proclamar igualdade. no vigésimo quinto dia de Abril assinalam a evolução aliada à revolução, dia 26 estão, esquerda e direita, a votar por um director autocrático no ensino!
pergunto-me o que sobrou a estes senhores da igualdade, fraternidade e liberdade francesas? possivelmente só e apenas a fraternidade e esta, irremediável e expectavelmente, associada às eleições e ao desejo intrínseco no ser humano de poder absoluto.

10 comentários:

Ana Moreira disse...

Venero-te

AnaLuísa disse...

absolutamente brilhante.

Qel disse...

liberté, egalité et fraternité!

Cátia Vieira disse...

não acrescento uma única palavra, de génio!

MafaldaMacedo disse...

Olá Rita. Venho pedir-te desculpa pelos comentários que o Diogo te fez em relação á tua critica ao meu penultimo post em relação á crise.
Percebo perfeitamente o que dizes e até concordo, mas defacto naquele post apenas falava de como eu sinto a crise e não das pessoas de "classe social" (nao gosto do termo, mas na verdade é o correcto) acima ou abaixo da minha.
Mas de qualqer das meniras obrigado pela critica, é preciso sabermos aceitar e ouvir/aprender com o melhor e pior que nos dizem.
beijinho *

U disse...

minha name, continuas a escrever brutalmente bem.

Dan. disse...

Concordo plenamente!

filipa disse...

tens tudo dito :)
beijinho*

gislane disse...

gostei do teu blog
virei seguidora
bjos

Afonso disse...

Brilhante.

O nosso país é assim mesmo. E ainda assim, melhor que muitos.