15 agosto, 2009

de Rita Lucas a Ana Moreira aos vinte e dois dias do mês de julho do ano de dois mil e nove (profundamente inspirado na saudação de Álvaro de Campos a Walt Whitman),

quero que me perdoes a intimidade com que te escrevo estes versos,
sobretudo pedir-te perdão pela superficialidade da língua humana, incapaz de tornar esta tosca tentativa de homenagem à pessoa que és numa ode à personificação da beleza humana que desconheces ser.
hoje quero dizer-te que te adoro, que te admiro, que te idolatro, que te amo, talvez...
hoje quero vergar-me perante ti e esfrangalhar os joelhos na calçada que tu pisas, entrando numa procissão em tua honra que só terminará no dia da minha morte.
às vezes ponho-me a imaginar que odor terá a tua pele, o teu cabelo, a tua roupa...rendo-me perante os mil perfumes que penetram as minhas narinas, na tentativa de encontrar um equilíbrio discreto entre canela e rosmaninho.
oh meu bem, por favor, não me tomes por louca, quando violo mil telas com o perfil do teu corpo nu, não confundas este acto de amor com o ordinário desejo sexual que nele não tem lugar!
hoje pretendo desafiar a 9ª sinfonia de beethoven com recurso à oração erudita solta pelas tuas cordas vocais!
hoje quero cantar o fado de coimbra, oh! o triste fado dessa cidade de amores perpétuos, quero cantar-to à viola por baixo da tua janela!
hoje vou levar-te ao teatro, vou morrer em palco, meu amor, morrer depois de proclamar o meu delírio por ti, depois de declamar em verso todo o meu fascínio, toda a minha admiração, a minha tragédia, talvez...
oh!quantas são as vezes que me perco a olhar para os combóios e a imaginar o dia em sairás de uma qualquer carruagem e virás abraçar este verme sonhador que porá tudo o que lhe pertençe nesse abraço?
ouve-me Ana: tu sabes que eu, Rita Lucas, a hipérbole do sentir, não sou tus amiga nem tão pouco tua confidente, eu sou tua se assim o desejares, minha querida Ana. sou tua desde a raíz do meu cabelo à raíz da minha alma.
e por isso peço-te, mata comigo estes filhos da puta, estes oleosos, estes pseudo-liberais. mata comigo este mundo de gente analfabeta com canudo! vem comigo por esse Portugal fora! vem comigo dessenterrar o Eça, acordar o Camões, mandar uma piada ao Gil! dá-me a mão, Ana Moreira, façamos justiça, política e literatura com classe!
loucura, insesatez, audácia, chamai-lhe o que quiserdes!
Deus teme as consequências dos nossos actos.

17 comentários:

Ana Moreira disse...

Eu depois disto nem tenho palavras para explicar como me fascinas, como te admiro! Até me vieram as lágrimas aos olhos perante tal obra de arte dedicada a mim e, ainda por cima, realizada pela pessoa mais incrível que até hoje conheci.
É este texto a primeira coisa que senti necessidade de me comprometer a guardar até morrer e lê-lo um milhão de vezes ao longo da minha vida. Nunca me fizeram algo tão especial; nunca palavras me tocaram tanto no coração.
Rita, sabes que te admiro do fundo da minha alma, acredito realmente que tens um talento surreal que nem sequer deve ser comparado à minha mania de escrever sobre corações partidos. É um dos meus maiores orgulhos ver que alguém como tu, que tanto adoro, me dedicou algo desta dimensão. Não sei como te agredecer, és fantástica... absolutamente fantástica. Queria beijar-te as mãos como imperatriz que para mim és. Coimbra tem mais encanto só porque lá estás. És grande, a maior que já conheci. Venero-te.

Aubergine. disse...

Fantástico.

Tani disse...

adorei :D incrivel ode!

Cátia Vieira disse...

está divino, amei! sem dúvida ela é a melhor pessoa do mundo :D
um beijo

Afonso disse...

Magnífico, simplesmente de ficar boquiaberto. :o

Adorei :) Parabéns Parabéns Parabéns

MafaldaMacedo disse...

O português no seu melhor ! fascinante, sem dúvida.

U disse...

e eu espero que com isto esteja tudo muito melhor! :D
continuas a ser grande!

Poppins disse...

Eu bem já te disse para escreveres um livro! :)

x Inês ( ? ) disse...

Que homenagem :')

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...letras
llenas
del
alma
al
portar
nameless
en
ellas
todo
tu
corazon...

desde mis---horas rotas---

te sigo nameless , y comparto

tu bello blog, con un fuerte

abrazo.

afectuosamente tuyo:

jose

ramon...

RGE disse...

:O

AMEI... profundo, criativo, perfeito...
epa este blog esta cheio de talento... e como tu dizes "literatura com classe" :P lol...

Rute' disse...

Mais Classe? Impossível!
Brilhante!!!!
*****

Davie disse...

Sinto a tua falta, companheira.

Davie disse...

É pena não me dar a conhecer muito facilmente.
É o que interessa, vendo bem as coisas.

Davie disse...

companheira, deixa-me ler o teu do outro lado da folha.

mami disse...

Filhota: és o meu orgulho!!!! Fantástico o teu amor pela literatura, pela escrita, pela retórica. Discursar está nas tuas veias, argumentar no teu coração, elogiar quando amas, odiar quando és traída. ADORO-TE, mami

Psycoo disse...

Demais! Deixa qualquer pessoa sem talento...
Este blog transborda de talento e abunda nele uma dedicação tremenda.
Que texto! :O