07 setembro, 2009

eu sou a hipérbole de toda a miséria e podridão intrínseca na raça humana. de uma forma ordinária, sou uma puta. não passo disso, um monte de merda que vagueia por essas avenidas e ruelas à hora em que a mãe vai aconchegar o filho ao leito, à hora em que os amantes se embriagam no corpo um do outro morrendo no orgasmo da sua ressaca, eu passo por ti à única hora que precisas de me ver. eu sou uma criatura estéril, estéril em relação a todos estes valores hipócritas que a sociedade impõe, sou estéril de moral, de pudor e sobretudo em relação àquilo a que gostam de chamar de amor.
tenho necessidade de me sentir suja. prendo o cabelo horrorosamente oleoso à cabeça com uma mola amarela e subjugo-me à minha condição...o meu corpo liberta um odor a carapau frito misturado com todo o nojo que me rodeia.
quando começo a sentir a fraqueza dos homens, entre uivos e esperma, assalta-me um desejo irreprimível de vomitar de desespero. no final de tudo,resta saber que jamais alguém me penetrou o espírito.

18 comentários:

matilde disse...

wow, nunca tinha lido nada assim, tens algo de especial na tua escrita. tens um grande talento (: adorei, mesmo mesmo.

Angela Ferraz disse...

o nojo predomina, mas o espirito transcendente ao corpo faz crer ao mundo que ainda és dona de ti mesma

Qel disse...

rita, és boa demais para a tua escrita não passar deste blog lá para fora. Tenho-o dito. *

Davie disse...

arte. arte. arte!

U disse...

se alguém não te penetrou o espírito, é porque esse alguém não valia a pena.
rita, rita, rita, temos de pôr conversas em dia! *

Rute' disse...

Concordo plenamente com o 3º comentário! Muito boa mesmo!

Davie disse...

gostei da imagem.
finalmente, meteste uma imagem x)

U disse...

a imagem está excelente mesmo!

Davie disse...

eu adorei a imagem, o nosso expressividade andava a precisar.
guarda as outras duas imagens, quando nos cansarmos deste visual temos esses dois à escolha!

Chiquitita disse...

eu sou ninguém e também não o quero ser amanhã!

Bia disse...

que blog!

Poppins disse...

Já disse e repito: escreve um livro.

Silvana disse...

adoro o novo visual.

bem, este texto deixou-me assim :0
fiquei completamente sem palavras ou qualquer emoção!
é daquelas coisas que nos deixam chocados de tão belas que são!
sim...isto é mesmo ARTE!

Zita disse...

Escreves com tanta garra, tanta emoção. É um dom, definitivamente.

Ana Moreira disse...

Nunca tive tanto orgulho em admirar alguém! venero-te

(M.) disse...

"eu sou a hipérbole de toda a miséria e podridão intrínseca na raça humana.
tenho necessidade de me sentir suja. prendo o cabelo horrorosamente oleoso à cabeça com uma mola amarela e subjugo-me à minha condição...o meu corpo liberta um odor a carapau frito misturado com todo o nojo que me rodeia.
quando começo a sentir a fraqueza dos homens, entre uivos e esperma, assalta-me um desejo irreprimível de vomitar de desespero. no final de tudo,resta saber que jamais alguém me penetrou o espírito."

Logo a primeira frase arrumou comigo ;)
E esta ultima é muito forte mesmo.
Muitos, muitos parabens.. tens um jeito enorme para a escrita :)


Beijinho

Qel disse...

o pessoal? xD o pessoal é este: qel.19@hotmail.com
o da conta do blog é um bocado mais à pita: stracciatella.cascarejo@gmail.com :p *

Inês disse...

uma escrita que me agrada, rita... com a qual mt me identifico!