09 outubro, 2009

sinto náuseas.
há um poeta que me disse
que isso era coisa de quem tem
uma angústia latente ao seu ser.
nunca antes tive tal epifania
ao ler o que todos julgam ser
uma alegoria.
nem de alegórico tem nada, meus caros!
está determinado,
o chão que piso continuará vomitado.

14 comentários:

Marilena' disse...

lindo*

Carolina disse...

Lindoo, (:

Silvana disse...

sou demasiado "pequena" para texto tão magistrais como este :)

simplesmente primoroso *

Ana Moreira disse...

Tudo é tão pequeno ao teu lado, Rita Lucas

Cátia Vieira disse...

Adorei (:

Davie disse...

As tuas palavras são tão fortes companheira!
Impressionas-me sempre mais.

Diana Machado disse...

Não estou com vontade nenhuma de perceber o que escreveste e não percebi mesmo.
Que se foda... Graças a ti acabei de me lembrar que na quarta-feira apanhei uma bebedeira daquelas e me fartei de vomitar e, consequentemente, sujei as minhas sapatilhas todas que estão por lavar debaixo da cama com pedaços de comida :') Obrigada.

Purple disse...

wow *-*

Escreves mesmo bem (:
Beijo

Pedro disse...

adorei =)

inês chaplin disse...

perfeito!

U disse...

és o meu braço frontal!

Zirtaeb disse...

Adorei a maneira como te expressas tão simples mas bem extruturada, é lindo o poema.

M. disse...

Às vezes não sei se é dor se pânico que vejo nas tuas palavras. Arte é-o de certeza.

Silvana disse...

tenho um miminho para ti no meu blog :)

beijinho*